Buscar

SÍNDROME METABÓLICA E A OSTEOARTROSE - PARTE II


As citocinas inflamatórias produzidas pelo tecido adiposo branco têm demonstrado serem uma fonte importante da meta-inflamação corporal. Essas adipocinas ocasionam danos nos tecidos musculoesqueléticos. Por exemplo, mais recentemente, a gordura intra-articular (fat-pads), tecido adiposo presente em algumas articulações, foram consideradas uma nova fonte de adipocinas, e um potencial alvo terapêutico no combate à osteoartrose. Essas adipocinas, incluindo

adiponectina, leptina, resistina, chemerina, IL-6 e TNF-α, são participantes não apenas durante a inflamação, mas também na regulação metabólica das células articulares, incluindo condrócitos, osteoblastos, osteoclastos e células-tronco mesenquimais.


Outra questão que merece destaque nessa conexão síndrome metabólica-osteoartrite

é o osso subcondral. Esta região do osso é responsável por suportar a carga na

articulação, dando amparo não apenas mecânico, mas também metabólico para a

cartilagem da superfície articular. A cartilagem sempre foi considerada o órgão alvo

lesado na artrose, mas diversos trabalhos vêm reportando ser o osso subcondral, em

muitas vezes, a sede do problema articular. Por exemplo, osteoblastos do osso

subcondral de pacientes com osteoartrose demonstraram promover reações

hipertróficas prejudiciais nos condrócitos da cartilagem articular. Sem falar na função

vascular do osso subcondral que pode prejudicar a saúde da articulação através de

duas formas: transportar citocinas inflamatórias para dentro da articulação pelos

canais vasculares, ou a perda da permeabilidade microvascular. Esta última

intimamente relacionada a 2 componentes da SM - hipertensão arterial e dislipidemia,

que acarretam lesão no endotélio dos microvasos subcondrais. Esta disfunção vascular

subcondral levará, em última análise, a desnutrição dos condrócitos e manutenção de

um ciclo vicioso.


A boa notícia nessa história toda é que a maioria dos componentes da Síndrome

Metabólica são combatíveis através da mudança nos hábitos de vida. E isso pode ser

iniciado já.



Referências:

Karsdal MA, Bay-Jensen AC, Lories RJ, et al (2014) The coupling of bone and cartilage

turnover in osteoarthritis: Opportunities for bone antiresorptives and anabolics as

potential treatments? Ann. Rheum. Dis.

Suri S, Walsh DA (2012) Osteochondral alterations in osteoarthritis. Bone.

https://doi.org/10.1016/j.bone.2011.10.010

Pallu S, Francin PJ, Guillaume C, et al (2010) Obesity affects the chondrocyte

responsiveness to leptin in patients with osteoarthritis. Arthritis Res

Ther.https://doi.org/10.1186/ar3048

Wang Y, Wluka AE, Hodge AM, et al (2008) Effect of fatty acids on bone marrow lesions

and knee cartilage in healthy, middle-aged subjects without clinical knee osteoarthritis.

Osteoarthr Cartil. https://doi.org/10.1016/j.joca.2007.09.007



Dr. José Fábio Lana, MD

Orthopedic Interventional Pain Management


IOC - Instituto do Osso e da Cartilagem / The Bone and Cartilage Institute

ORTHOREGEN INTERNATIONAL COURSE


Indaiatuba - São Paulo +55 19 3017 4366

Uberaba - Minas Gerais +55 34 3331 7777

Entre em contato conosco por mensagem ou telefone:

Indaiatuba/SP: (19) 3017-4366 | 3392-6549
Belo Horizonte/MG: (31) 99949-7500
Uberaba/MG: (34) 3331-7777 | 99931-6810
Porto Alegre/RS: (51) 32761088 | 9243-9677
Vitória/ES: (27) 3207-5506 | 99992-5643
Brasília/DF: (61) 99630-0600 | 3248-7350
Goiânia/GO: (62) 992632170| 39790544

Este site foi criado para compartilhar informações e não tem como objetivo prestar consultas ou atendimentos médicos. As informações contidas no site expressam a opinião dos autores. As opiniões não tem vínculos com nenhuma instituição e as informações aqui contidas não substituem a avaliação médica. O médico não pode realizar diagnóstico e tratamento a distância ou por e-mail.

Responsável Técnico: Dr. José Fábio Lana / CRM/SP 133606 / CRM/MG 20582 - Ortopedia e Traumatologia - RQE nº55117