Buscar

A Terapia Neural - PARTE II

A partir da identificação desses campos interferentes, inicia se o tratamento com

aplicações locais de um anestésico, a procaína em baixas concentrações (0,5 ou

0,7%) objetivo é o efeito elétrico que induz a célula a uma tensão de 290 mv,

permitindo a repolarização e estabilização da membrana plasmática, neutralizando a

irritação e melhorando o funcionamento do sistema neurovegetativo.


A terapia neural é uma modalidade de tratamento que utiliza injeções com anestésicos

locais para diagnóstico e terapia (as indicações incluem distúrbios funcionais, doenças

inflamatórias e dores agudas e crônicas). O verdadeiro objetivo, porém, não é obter

anestesia local (exceto para o diagnóstico). A geração de estímulos direcionados (por

meio da agulha) e a extinção seletiva de outros estímulos (por meio do anestésico

local) afetam a organização do sistema nervoso e a perfusão tecidual, interrompendo

assim as ações de feedback positivo (círculo vicioso) no ciclo da dor. Essa modalidade

de tratamento utiliza os mecanismos regulatórios e as propriedades plásticas do

sistema nervoso, principalmente em dois níveis: primeiro, via processos de refletor

segmentar e, em segundo lugar, via o chamado campo de interferência (zona de

irritação), que pode iniciar e / ou manter a dor e a inflamação, independentemente do

segmento envolvido.



Referências:

Egli S, Pfister M, Ludin SM, de la Veja KP , Busato A, Fischer L. Long-term results of

therapeutic local anesthesia (neural therapy) in 280 referred refractory chronic pain

patients. Complementary and Alternative Medicine (2015) 15:200