Buscar

A relação entre dieta e a dor - PARTE II


Através desta visão, uma dieta inflamatória e pobre em nutrientes levaria, acima de tudo, a um estresse oxidativo no corpo, ativado algumas vias de sinalização da dor. Uma delas é a famosa ativação dos receptores Toll-like

(TLRs) que podem levar uma neuroinflamação no SNC através do aumento da atividade das células da glia. Essas são células que amparam os neurônios e funcionam também como células imunológicas dentro do sistema nervoso.


A ativação aberrante dessas células estaria então ligada à sensibilização

central, mostrada em trabalhos animais e também em pacientes com dores

lombares inespecíficas e fibromialgia. Células da glia hiperativas secretariam

mediadores inflamatórios, aumentando a excitabilidade neuronal, a transmissão

sináptica nas vias da dor e também levando à perda da inibição da dor na

região da medula espinhal (corno dorsal), facilitando que o cérebro

interpretasse e memorizasse o estímulo doloroso.


Essa visão fornece uma justificativa plausível para o desenvolvimento de

tratamentos multidisciplinares como intervenções dietéticas, terapia

farmacológica e procedimentos menos invasivos para dores crônicas.




Dr. José Fábio Lana, MD Orthopedic Interventional Pain Management IOC - Instituto do Osso e da Cartilagem/ The Bone and Cartilage Institute ORTHOREGEN INTERNATIONAL COURSE Indaiatuba - São Paulo +55 19 3017 4366 Uberaba - Minas Gerais +55 34 3331 7777