Buscar

A Medula Óssea como Produto para Utilização na Medicina Regenerativa - PARTE II


Outros tipos celulares: células imunológicas – auxiliando na proteção contra patógenos. As células ononucleares, como os monócitos são células que nos tecidos recebem o nome de macrófagos e apresentam a capacidade de se diferenciar em células do tipo M1 ou M2 de acordo com o estímulo recebido, sendo que o M1 é uma célula com característica inflamatória e o M2 com característica regenerativa. 42 Os neutrófilos são células que estão relacionadas com a resolução de infecções bacterianas, com um predomínio inflamatório, porém secretam uma série de moléculas com potencial na regeneração e angiogênese, podendo amplificar o potencial o potencial regenerativo.


A eficácia dos produtos derivados da medula óssea vem sendo demonstrada há mais de 30 anos pelo Dr Heringou, que já apresentou artigos sobre sua eficácia para não união óssea, necrose avascular da cabeça femoral, osteoartrose, entre outras patologias. Também vemos seu uso em feridas crônicas. A terapia com a medula óssea está se tornando um tratamento cada vez mais comum para lesões e doenças musculoesqueléticas. Embora os primeiros estudos clínicos tenham mostrado resultados promissores, as falhas metodológicas e a falta de padronização entre os ensaios limitaram as conclusões sobre o uso da medula óssea. Uma melhor compreensão do mecanismo de ação subjacente e ensaios clínicos mais

cuidadosamente elaborados ajudarão a revelar a eficácia e a utilidade dos produtos derivados da medula óssea como uma modalidade de tratamento para várias patologias ortopédicas.




Referências:

Hernigou, Ph., MD 1 ; Poignard, A., MD 1 ; Beaujean, F., MD 1 ; Rouard, H., MD 1 Percutaneous Autologous Bone-Marrow Grafting for Nonunions, JBJS: July 2005 - Volume 87 - Issue 7 - p 1430-1437