Buscar

A fotobiomodulação na reparação tecidual e clínica da dor - PARTE II


Com o advento tecnológico de novas fontes de luz, com diversas possibilidades de laseres e leds, esse portifólio de indicações aumentou significativamente. Em tecidos moles, a fotobiomodulação tem sido utilizada no tratamento de feridas crônicas do pé diabético, pós-operatórios dos mais diversos, inúmeros procedimentos estéticos, a fim de acelerar e melhorar a qualidade da cicatrização tecidual de um modo geral, e sua reparação. Em lesões de ossos e tendões é indicada para diminuição da dor e edema, além de favorecer o processo de reparo tecidual e, consequentemente, devolver a funcionalidade dessas estruturas. Devido a seu poder de mediação do processo inflamatório e analgesia, é notória sua crescente utilização em diversos campos da clínica médica, principalmente voltados à clínica da dor. Além disso, também apresenta indicação no tratamento de doenças sistêmicas e auto-imunes, lesões oncológicas e como coadjuvante no tratamento das diferentes terapias que envolvam células-tronco.


Em síntese, a fotobiomodulação trata-se de uma terapia não invasiva, atérmica,

indolor, com boa relação custo-benefício, sem efeitos colaterais, que associada à segurança no tratamento, justifica o interesse de pesquisadores e clínicos quanto aos efeitos biológicos sobre os tecidos e aplicações pertinentes.



Referências:

Santos CM, Rocha RB, Hazime FA, Cardoso VS. A systematic review and meta-analysis of the effects of low-level laser therapy in the treatment of diabetic foot ulcers. Int J Low Extrem Wounds. 2020;12:01-10.

Avci P, Gupta A, Sadasivam M, Vecchio D, Pam Z, Pam N, Hamblin MR. Low-level laser (light) therapy (LLLT) in skin: stimulating, healing, restoring. Semin Cutan Med Surg. 2013;32(1):41-52. Freitas LF, Hamblin MR. Proposed mechanisms of photobiomodulation or low-level light therapy. IEEE J Sel Top Quantum Electron. 2016;22(3):01-37.