Buscar

ÁCIDO ALFA LIPÓICO – INSIGHTS SOBRE SEU USO TERAPÊUTICO -PARTE III

Outros mecanismos citados nos artigos é a maior ativação de uma enzima que produz

óxido nítrico (NO) na parede dos vasos sanguíneos (endotélio), aumentando assim a

vasodilação desses. Também, existe o fato de as formas oxidada e reduzida ligarem-se

a vários íons metálicos, quelando e impedindo potencialmente o acúmulo de metais

pesados no corpo. Estudos in vitro mostram isso para cobre, chumbo, alumínio e ferro.

Se essas formas efetivamente quelam e removem metais in vivo ainda não está

totalmente elucidado.



Na inflamação sistêmica crônica, o AL poderia reduzir citocinas inflamatórias

circulantes, como a interleucina-6 (IL-6). Este achado é importante porque a IL-6 é um

reconhecido marcador de inflamação em placas ateroscleróticas nas coronárias e

regula a expressão de outras citocinas inflamatórias, como interleucina-1 e TNF-alfa.

Outros resultados também mostram que o AL reduz a expressão das moléculas de

adesão celular vascular (como o VCAM-1) que atraem células imunes como os

monócitos e linfócitos T, reduzindo assim potencialmente o dano inflamatório na

parede dos vasos e o desenrolar da doença aterosclerótica.


Referências :

Shay KP, Moreau RF, Smith EJ, Smith AR, Hagen TM. Alpha-lipoic acid as a dietary

supplement: molecular mechanisms and therapeutic potential. Biochim Biophys Acta.

2009 Oct;1790(10):1149-60. doi: 10.1016/j.bbagen.2009.07.026. Epub 2009 Aug 4.

PMID: 19664690; PMCID: PMC2756298.


Dr. José Fábio Lana, MD


Orthopedic

Interventional Pain Management

BIRM - Brazilian Institute Regenerative Medicine

ORTHOREGEN INTERNATIONAL COURSE



Indaiatuba - São Paulo +55 19 3017 4366/ 19 97172-8008